Diários em Arquivo



Autor 

 Título 

Ano  

Sinopse

Almeida (de) Viriato

Postais – Viagem para Timor

1919

Conjunto de postais escritos durante a viagem de Portugal para Timor pelo Viriato de Almeida na altura da 1ª Guerra Mundial. Os postais relatam o percurso, os pensamentos e os medos do autor durante a travessia de barco.

(Concurso 3^ edição 2018-20)

 

 

 

 

Castro (de) Fernando

O meu diário de campanha

1917

O autor, Fernando de Castro, desempenhou a função de Oficial de Ligação junto da aviação inglesa e dá em “O meu diário de campanha” um testemunho inédito do que se viveu no Quartel General do CEP em St. Venant, entre Julho e Dezembro de 1917 – importante por adicionar informações a respeito da participação do Exército Português na I Guerra Mundial. (Concurso 1^ edição 2016)

 

 

 

 

Cordeiro Costa Daniel

O meu diário

1962-1964

Crónicas de Daniel Costa enquanto militar mobilizado em comissão de serviço no norte de Angola a fim de combater na guerra colonial. Tudo começa nos primeiros meses de 1962 em Faro e desenrola-se até Abril de 1964 em Angola.

Todo o descritivo situa-se na ambiência geográfica africana – a negritude – na sua carga milenar; esta assimila-se à presença portuguesa gerando a miscigenação. O acervo de dados a partir do Esquadrão 297 é impressionante: o real quotidiano, as obrigações da guerrilha. o outro. A Breda e a Mauser, o alojamento, os acampamentos, as refeições, o convívio entre militares, o lazer, as “madrinhas” de guerra. Os desfiles. A sexualidade na ambivalência das recordações femininas e as “derivações” na mulher africana. Por fim a aurora da libertação. Onofre (Daniel Costa) coloca-nos perante as memórias das vivências insuspeitadas destes atores. Deles e dor do outro, visto que a memória é recíproca. Necessariamente. (Concurso 3^ edição 2018-20)

 

 

 

 

Cordeiro Velez Herculana

Cartas

1950-1970

(Diário fora do Concurso)

 

 

 

 

Coroado Serejo Martins Catarica Raquel

Inventário 13

2013

A autora apresenta assim o seu trabalho: “Um inventário das coisas escritas ao longo de 2013, um exercício de escrita, treino e método e vitórias sobre o cansaço. Às vezes diário íntimo, às vezes diário de viagem, às vezes ficção, às vezes crónica, às vezes poesia, às vezes tédio”.

(Concurso 1^ edição 2016)

 

 

 

 

Correia Pais José António

Cartas de amor

1980

Conjunto de cartas enviada do autor, José Correia, para a namorada, e futura esposa, Maria Assunção Martins no contexto da sociedade portuguesa dos anos 80. Relatam o principio do namoro e a vida do dia a dia.

(Concurso 3^ edição 2018-20)

 

 

 

 

Correia São Simão Eduardo José

EU-2R-73. Pela Europa em duas rodas em 1973

1973

Em 1973 após cumprir o serviço militar o autor do diário, Eduardo Simão, inspirado pelo cult movie “Easy Rider”, decide abraçar o sonho de longa data de viajar de moto pela Europa, com mais liberdade de ação, papando léguas de estrada, com a vontade de atravessar fronteiras e tomar o gosto da liberdade.

Para conseguir por em pratica este projeto ele e um amigo, que o acompanhará nesta aventura, escrevem uma carta à Direção Casal propondo que lhe cedam duas Casal 125, para efetuarem uma viagem pela Europa, durante a qual, justificam,  poderiam visitar alguns dos representantes importadores da marca, assim como levar alguns folhetos e distribui-los em locais mais frequentados pelos amantes das duas rodas.

É assim que, após alguma preparação física e logística, no dia 26 de julho de 1973 a viagem começa…

(Concurso 3^ edição 2018-20)

 

 

 

 

Dias de Oliveira Ana Maria

A escrita na vida de uma educadora de infância

1950

(Diário fora do Concurso)

 

 

 

 

Fernandes Costança

Uma lição portuguesa

1960

O texto começa por realçar um período de emigração para o Brasil e dá o típico exemplo de uma família que nasceu e se desenvolveu nesse contexto. A autora, enquanto membro dessa família, refere o que presenciou nas quatro últimas décadas do século XX. No início, apresenta-se como observadora e narradora do que vê e ouve. Depois, passa a ser confidente de um militar que prestou serviço em Moçambique. Com base nas suas cartas, conta factos relativos a um período da guerra colonial.

(Concurso 1^ edição 2016)

 

 

 

 

Fernandes da Silva Lessa Hernâni

Cartas para a familia de um jovem militar em África

1970-72

Cartas, postais, fotografias. Cartas enviadas à familia por um jovem militar mobilizado na guerra colonial para Vila Cabral, Moçambique. Cerca de 80 cartas escritas nos anos de 1970-72. (Concurso 2^ edição 2017)

 

 

 

 

Fernandes de Carvalho Neves Maria Luísa

Sublime viagem – Memórias de família

1969-1979

História de família que permite compreender as histórias das pessoas e suas relações com a história do seu tempo. Por outras palavras são registos da vida dos pais da autora e das vidas que com a deles se cruzaram, inseridas no seu contexto socio-cultural. Percorrem-se espaços e tempos que vão da aldeia à cidade, da ditadura à democracia, ilustrados com cenas do quotidiano, passado e presente, da vida da sua família. (Concurso 1^ edição 2016)

 

 

 

 

Ferraz Marjorie Adriana

Meu amor em Palavras

 

Textos impressos. Textos escritos entre Outobro 2014 até a atualidade. Baseados em um romance vivido pela autora. (Concurso 2^ edição 2017)

 

 

 

 

Fonseca Borges (de) Joaquim Gregório

Resumo da vida de Joaquim Gregório da Fonseca Borges da Villa de Pombal, pobre homem que sofreu desde 1810 à 1830

1810-1830

Texto autobiográfico de Joaquim Gregório da Fonseca Borges, nascido em 1792, tabelião em Pombal; o texto foi escrito em 15 de Maio de 1830, e descreve as aventuras por que o autor passou durante a 3a invasão francesa (1810) e as lutas liberais (1830). (Concurso 1^ edição 2016)

 

 

 

 

Gomes Grácio Cochofel Encarnação Catarina

Sem tecto nem chão

2014-2017

A obra apresentada consiste na justaposição anacrónica de diversas passagens de diário que limitam o espaço de tempo entre 2014 e 2017, tempo entre os 17 e os 20 anos da autora. Diversos aspectos predominantes na transcrição da adolescência para a vida adulta em tempos “pós-pós-modernos” são tematizados: o confronto com a ascendência da estrema direita e do populismo, o contrastre entre a vida na pequena e na grande cidade, o excesso de informação que se segue ao desenvolvimento tecnológico e à globalização. A procura sôfrega por um local de conforto e de sinceridade, a solidão e a saudade constituem o espectro de alguns dos temas abordados; a anacronia resultante da disposição de todas as passagens representa um elemento omnipresente e com o qual a juventude dos nossos dias se vê obrigada a ser confrontada. Vivemos em tempos de deconstrução, de morticínio de todas as estruturas, em tempos nos quais dificilmente encontramos chão que nos sustente ou tecto que nos albergue. Abraçar anacronismos (temporais e não só) é mais um paço para compreender melhor os nossos tempos. Uma anacronia contada da perspectiva de uma lisboeta nata, estudante na metrópole de Berlim, onde procura refúgio e sentido mundano na filosofia.

(Concurso 2^ edição 2017)

 

 

 

 

Jesus Nunes Gonçalves (de) Alexandrinha

A (des)ilusão do sonho

 

Fala sobre a dor da separação e sobre a desilusão adveniente da perda do primeiro grande amor. Na inocência e pureza dos sentimentos, o “eu” acreditava ter encontrado o caminho da felicidade. No entanto, o namorado partiu e deixou-a perdida num cruzamento. É através da escrita que tenta desbravar o caminho dos sentimentos, num percurso feito de avanços e recuos, de pensamentos, de lembranças e de divagações caóticas na tentativa de reencontrar o seu “eu” errante. O diário não se encontra cronologicamente datado porque para a autora (o “eu” narrador) as emoções não eram datáveis. (Concurso 1^ edição 2016)

 

 

 

 

Lança Rodrigues Marta

Mudar de vida

2004-2011

Este diário situa-se entre 2004 e 2011 e refere-se a vários momentos de mudança, países novos sobretudo Cabo Verde e Angola, desenvolvendo a observação e a disponibilidade para ouvir e coletar histórias. (Concurso 2^ edição 2017)

 

 

 

 

Lopes Maria Emília

Maria Emília

 

Uma série de histórias que acompanha a autora do texto desde a infância à idade adulta. A maior parte destas memórias são humorísticas e reportam-nos ao seu local de nascimento, estando rambém intimamente relacionadas com o modo de vida das pequenas aldeias durante o regime salazarista: o trabalho agrícola, a convivência entre géneros e a emigração. (Concurso 1^ edição 2016)

 

 

 

 

Martins Amândio

Pedaços de almas – Memórias

1937-2007

Recordações de Infância, juventude e idade adulta ocoridas entre 1937 e 2007. Passadas numa aldeia do Alto-Douro – em Lisboa – em Timor – nos Açores – em Moçambique e em Paris. (Concurso 2^ edição 2017)

 

 

 

 

Montano António Augusto

Diário de um ateu cristomaniaco

 

São variadissimos temas em cada um dos diários. Cada diário corresponde um ano desta actividade; sendo todas as páginas ilustradas. (Concurso 2^ edição 2017)

 

 

 

 

Monteiro Vaz Orlando

História de uma vida

1949-2007

O autor apresenta assim o diário: “História de uma vida. Factos vividos entre os anos 1949 e 2007. Relato de peripécias da infância, adolescência e vida adulta”. (Concurso 1^ edição 2016)

 

 

 

 

Nascimento Brito Paulo Jorge

Fugido à morte

 

A história vivida no mundo da escravidão, que por motivos de fraqueza e dor, a despedida era o pensar de todos os dias mas acontece que nada mais havia a fazer senão fugir de um lugar escuro e indesejado, onde o poder era a única mão de lidar com a fraqueza de um frágil que tudo o que mais queria era viver a sua própria liberdade. (Concurso 2^ edição 2017)

 

 

 

 

Nunes Bravo Carlos

Diário de um combatente

 

Mobilização para integrar o corpo expedicionário português (1a Guerra Mundial). Embarque para Brestes; Instrução military no sector inglês e trincheiras no sector português; captura (prisioneiro dos alemães); retirada para a Bélgica (com os alemães); Armistício; Aguardar pelo repatriamento; repatriamento no navio Gil Eanes; Chegada a casa, no seu Alentejo natal. (Concurso 2^ edição 2017)

 

 

 

 

Ramalho Ferreira Denise

Diário de 31 dias dedicados ao estudo do piano

2019

Em março de 2019 a autora decide tirar uma licença sem vencimento de 31 dias para se dedicar ao estudo do piano rumo a um exame que marcou a vida dela desde os 18 anos, altura da sua maior frustração. São desabafos que a Denise (autora do diário) sentiu a necessidade de escrever sobre este projeto e que espera possam inspirar outros sonhadores. (Concurso 3^ edição 2018-20)

 

 

 

 

Ramiro Ramos Reginaldo

Deus, é o qui sabi

1959-1997

Autobiografia de Reinaldo Ramiro Ramos, com especial incidência sobre os anos em que viveu nos Açores, Angola e S. Tomé e Príncipe. (Concurso 1^ edição 2016)

 

 

 

 

Rosa Bandeira Alda

Recordações e saudades

2008-2009

A autora do texto apresenta o seu trabalho como “A minha infância e adolescência, escritos à idade de 80 anos”. (Concurso 1^ edição 2016)

 

 

 

 

Rosario Pires Poças (do) Maria

A máfia do gato preto

2012

O diário relata uma fase muito complicada da vida da autora que em 2012, apanhada nas redes de um esquema criminoso internacional e afundada em dívidas, toma a trágica decisão de viajar até a Colômbia para ser correio da droga. Apanhada em Paris, é presa e obrigada a passar quase um ano de reclusão na França. É ao longo deste ano que Maria decide escrever o diário e contar o desenrolar-se desta incrível aventura, bem como descrever os seus intervenientes. (Concurso 3^ edição 2018-20)

 

 

 

 

Serra Alegria Valdez Marcelo Maria Fernanda

Memórias em Histórias

 

É um conjunto de 18 contos que retratam vivências pessoais, de familiares e amigos, algumas mais, outras menos, ficcionadas. São situados quase todos em Trás-do-Montes, algumas no Minho, e passam-se nos anos 1950-1970. (Concurso 2^ edição 2017)

 

 

 

 

Silva Caio Falcão (da) Francisco

Goa 1961-1962

1961-1962

O diário é composto por duas partes: as cartas do pai do apresentador do diário e o relato do seu cativeiro na Índia, nomeadamente os acontecimentos da guerra em Goa e os factos vividos pelo autor após ser sido feito prisioneiro em Dezembro de 1961 e até 1962, ano em que foi repatriado. (Concurso 1^ edição 2016)

 

 

 

 

 

Cartas da Índia

 

(Diário fora do Concurso)

 

Diário

 

(Diário fora do Concurso)

 

 

 

 

Silva Murais Magalhães (da) Helena Maria

Viver com o Alzheimer

 

Testemunhos de doentes com Alzheimer.

(Concurso 2^ edição 2017)

 

 

 

 

Teixeira de Figueiredo Melo (da) Maria Conceição

Diário pessoal de 10 de Junho de 1969 a 4 de fevereiro de 1979

1969-1979

Diário pessoal de uma jovem dos 10 aos 20 anos, com relatos factuais que abrangem um arco temporal marcante na história de Portugal. Possui relato do dia 25 de Abril e subsequentes. Contém ainda alguns documentos históricos do Liceu Carolina Michaelis e da Comunidade Cristã da Serra do Pilar, Vila Nova de Gaia. (Concurso 2^ edição 2017)

 

 

 

 

Fernando de Castro

O meu diário de Campanha

1917

“O meu diário de campanha”. O autor, Fernando de Castro, desempenhou a função de Oficial de Ligação junto da aviação inglesa e dá em “O meu diário de campanha” um testemunho inédito do que se viveu no Quartel General do CEP em St. Venant, entre Julho e Dezembro de 1917 – importante por adicionar informações a respeito da participação do Exército Português na I Guerra Mundial.

 

 

 

 

Tinoco da Silva Rodrigues Maria Isabel

Autobiografía

 

A síntese do conteúdo é assim apresentada pela autora: “passado marcante; os meus empregos; viagens; despedimento; formação; a família; valores e opiniões”. (Concurso 1^ edição 2016)